Um Festival de ascensão meteórica

Ao longo dos seus 12 anos, o Festival de Dança de Londrina consolidou-se como um dos eventos de maior destaque na área das artes cênicas do sul do país. Ele movimenta a cidade do norte paranaense no mês de outubro, com espetáculos irreverentes que ocupam não só os palcos, mas também espaços abertos. A cada edição, o evento elege eixos temáticos que norteiam a escolha das montagens e a idealização de projetos especiais. O objetivo é envolver os espectadores em reflexões que ultrapassam a dimensão estética. 

A principal característica da programação é o diálogo da dança com outras linguagens, como o teatro, a música, a literatura e o circo.  Há espaço para diferentes manifestações da arte do movimento, do clássico ao contemporâneo.  

Desde as primeiras edições, em 2002, o Festival também oferece uma grade didática paralela, com oficinas, cursos, palestras e debates. Além da mostra oficial (em outubro), o evento realiza as Extensões - atividades ao longo do ano que levam sua marca de qualidade.

Já passaram pelo Festival nomes internacionais como o Odin Teatret (Dinamarca), Jean-Jacques Lemêtre (do Théâtre du Soleil, França), Kud Nor (Eslovênia), Cie À Fleur du Peau (França) e Tertulia Proyecto Danza (Chile). Dentre os grupos brasileiros, marcaram presença a Quasar Cia de Dança (GO), a Mimulus (MG), o grupo Raça (SP), o Bolshoi Brasil (SC), além de bailarinos do quilate de Cecília Kerche, Tindaro Silvano, Cícero Gomes e Mário Nascimento. O Ballet de Londrina, companhia oficial da cidade, participa de todas as edições como anfitriã. 

Em pouco mais de uma década, o evento teve um crescimento meteórico. Nos primeiros anos, tinha caráter competitivo; posteriormente, tornou-se uma mostra estímulo; a partir de 2008, assumiu o formato atual, com companhias profissionais convidadas e selecionadas. O aumento de público também foi vertiginoso, sobretudo pelas estratégias de democratização e acessibilidade, marcas ideológicas do Festival de Dança de Londrina. Atualmente, conta com coordenação geral de Danieli Pereira e presidência de honra de Leonardo Ramos.